O projeto “Pontes entre agricultura familiar e agricultura biológica” foi estruturado de acordo com as seguintes etapas:

asdasd

  1. Definição da metodologia e conceção do questionário “Pontes entre agricultura familiar e agricultura biológica”

Durante o ano de 2017, foi efetuado o levantamento bibliográfico e benchmarking de metodologias de intervenção em populações e territórios alvo idênticos, definida a técnica de inquérito a implementar, fases de validação do mesmo, público-alvo, dimensão da amostra e concelhos de implementação e construído o questionário com perguntas maioritariamente fechadas, algumas das quais sob a forma de checklist de resposta múltipla para identificação dos procedimentos técnicos e tecnológicos adotados nas explorações familiares e caraterização sociodemográfica dos inquiridos. O questionário, a técnica de inquérito a implementa e as formas de abordagem do público-alvo foram validadas em contexto de grupos focais. O questionário, instrumento para recolha de informação, encontra-se já finalizado, assim como um glossário para os termos técnicos utilizados no questionário.

 

  1. Dinamização de grupo focal sobre “O agricultor familiar e a adoção de práticas agrícolas sustentáveis”

No âmbito desta tarefa, foram dinamizadas 2 entrevistas coletivas (mais uma do que o inicialmente previsto) –  grupos focais – um na região na região Centro e outro na Norte do país, integrados por informantes privilegiados, selecionados de acordo com a proximidade da sua atividade profissional com os agricultores familiares ou outros pequenos agricultores (agricultores urbanos, novos agricultores) e, quando possível, com conhecimentos ou práticas acerca do modus operandis da agricultura biológica. A constituição dos grupos foi intencionalmente construída em termos de género, escolaridade e idade, sendo ainda alguns dos participantes escolhidos por serem conhecedores do panorama de incentivos da agricultura biológica em Portugal.

Os grupos focais decorreram em Viseu, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viseu, em 19.06.2017, e em Vairão, no Campus da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, em 04.07.2017.

Os objetivos dos grupos focais foram: (1)envolver informantes privilegiados, mobilizando conhecimentos, contactos e redes de relações; (2)debater as caraterísticas do público – alvo e definição da tipologia de agricultor a abordar; (3) melhorar e validar o inquérito checklist; (4) identificar mecanismos facilitadores e obstáculos à adoção da agricultura biológica; (5) debater recomendações para incorporar em programas e projetos de desenvolvimento e políticas regionais e/ ou nacionais que possam promover a adoção da agricultura biológica por agricultores familiares.

Ao longo das 5 reuniões presenciais com a equipa do projeto, foram sendo discutidos o formato, logística, participantes, objetivos e resultados esperados dos grupos focais. Para além destas reuniões, foi decorreu uma reunião em Dezembro, para discussão e aprovação do relatório dos grupos focais.

Resultados preliminares destes grupos focais foram divulgados através de uma comunicação intitulada “Adesão e resistência a práticas de agricultura biológica entre agricultores familiares: reflexões a partir de uma abordagem com grupos focais” apresentada no 1º Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura, em 04.11.2017, e que será publicada nas respetivas atas.

 

  1. Implementação do inquérito “Pontes entre agricultura familiar e agricultura biológica”

O inquérito por questionário aos responsáveis (chefes de exploração) de explorações agrícolas familiares será implementado em duas regiões nacionais: Centro e Norte.

O questionário, após validação em contexto dos grupos focais e ajustamento, foi testado em duas fases (Agosto, em casa dos agricultores, e dezembro, em reunião dinamizada por associação de desenvolvimento local – AderSousa – Associação de Desenvolvimento Rural das Terras do Sousa), de modo a aferir cada uma das questões/temas abordados e percecionar e uniformizar a metodologia de abordagem ao inquirido e de aplicação do questionário. Após esta validação, decorrerá aplicação do inquérito. A versão final foi ajustada em reunião com a equipa do projeto que decorreu em dezembro de 2017. No teste de aplicação do questionário, que decorreu na AderSousa em dezembro de 2017, fez-se, em simultâneo a preparação dos inquiridores.

O questionário será aplicado, com a colaboração de associações de desenvolvimento local, juntas de freguesia, ou outras equivalentes, durante o primeiro semestre de 2018.

 

  1. Estudo de caso – Implementação da metodologia Lean num agricultor selecionado

A metodologia “Lean”, para identificar as práticas reais, atitudes e comportamentos sinalizados no grupo focal, que podem constituir fatores de facilitação e, ou não, de melhoria das práticas de agricultura biológica adotadas por agricultores familiares, foi aferida pela equipa do projeto, em reunião realizada para o efeito em outubro, com a colaboração de um consultor especialista – Vasco Pessoa Jorge.

Foi selecionado um agricultor familiar, na região Norte, para implementação de um primeiro estudo de caso, com base na metodologia Lean, para a qual se preparou um guião específico que decorrerá no primeiro semestre de 2018.

Anúncios